Valve substitutes in cardiac surgery.

Rui de Lima, A. Mata Antunes, João Cravino, Henrique Vaz Velho, José Roquette, Manuel Machado Macedo

Abstract


SUBSTITUTOS VALVULARES EM CIRURGIA CARDIACA

Após urna breve história da evolução da Substituição Valvular em Cirurgia Cardíaca, descrevem-se, em primeiro lugar, os vários tipos de válvulas mecânicas cuja utilização se iniciou em 1960. Estabelecem-se as diferenças entre os vários modelos fazendo-se referência mais detalhada as próteses com oclusor de bola e, especialmente, aquelas em que o oclusor é de disco basculante. Relaciona-se o fluxo e a turbulência com as complicações observadas neste tipo de válvulas em que a anticoagulação e obrigatória. Em seguida descrevem-se as válvulas biológicas que também passaram por diversas fases de progresso, principalmente relacionadas com a preservação do tecido utilizado. A maior parte das actuais biopróteses é construída com válvulas aórticas de porco mas também, numa delas, se utiliza o pericárdio de vitela. Realça-se o papel do glutaraldeido como meio estabilizador a que se deve o progresso e durabilidade das biopróteses em que os anticoagulantes são habitualmente dispensados. Finalmente menciona-se a estatística do Serviço de Cirurgia Cardiotorácica dos Hospitais Civis de Lisboa estabelecendo-se as razões da preferência pelo tipo de válvulas mais frequentemente usado.


Full Text:

PDF


Refbacks

  • There are currently no refbacks.