Solvin’ It – De alunos para alunos

ONLINE POST in Portuguese, commissioned | AMP Student 2017; 12

Se na maior parte do nosso percurso escolar centralizamos a nossa aprendizagem no Professor e nos conhecimentos por ele transmitidos, atualmente, a consciência dos benefícios inerentes à aquisição de conhecimentos pelos nossos pares evidencia as potencialidades do Peer-Teaching como metodologia de ensino essencial no paradigma pedagógico das diferentes Escolas Médicas. É precisamente pela maior facilidade que os pares têm em entender os problemas e desafios a enfrentar, que se encontram numa posição privilegiada para explicar conceitos difíceis, adaptando-os a um nível apropriado. Destacam-se vários racionais que suportam os benefícios do Peer-Teaching, nomeadamente, a criação de um ambiente de aprendizagem descontraído, a possibilidade de os estudantes disporem de uma educação adaptada ao seu nível cognitivo e, ainda, a intrínseca modificação de uma cultura médica que abrace a educação como uma ferramenta essencial aos cuidados de saúde, interferindo, através desta metodologia, na preparação dos estudantes de medicina para o seu futuro papel enquanto educadores.[1] Para além das vantagens para o Learner, é no Teacher que se potencia uma consolidação, simplificação e organização do seu próprio conhecimento, para além de um aperfeiçoamento das capacidades de competência e liderança.[2] Torna-se, desta forma, percetível que a adoção do Peer-Teaching surja como modelo de progresso num ambiente onde a estagnação do Ensino obriga os alunos, ano após ano, às mesmas metodologias.

Ciente dos benefícios enumerados, da existência de um contexto académico com condições pedagógicas que revelam várias lacunas e com um desejo de mudança e melhoria mais fortes do que a inércia do sistema em vigor, a Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa (AEFML) criou o seu próprio projeto de Peer-Teaching, de alunos para alunos, o Solvin’ It.

Após uma revisão curricular, identificando as lacunas existentes, concluiu-se que estas assumiam maior destaque nos primeiros anos do curso (1º e 2º), pelo cariz de adaptação que estes inerentemente apresentam e pelo ensino predominantemente teórico. Neste seguimento, e sendo o 1º ano uma autêntica “novidade”, as sessões Solvin’ It destinadas ao mesmo abordam, sobretudo, as disciplinas mais complexas e/ou de maior importância, entre as quais a Anatomia, a Bioquímica e a Fisiologia. Na última edição do projeto, desenvolveram-se também sessões de Microbiologia, destinadas a todos os anos a partir do 2º ano, a fim de aumentar o nível de compreensão de algumas temáticas essenciais desta disciplina.

É por estar consciente de que o sucesso do Solvin’ It está associado aos benefícios do Peer-Teaching que a AEFML se dedica, conjuntamente com os alunos-Teachers, a proporcionar sessões de uma hora e meia (cada uma com um diferente tema), nas quais estes expõem apresentações preparadas por si, recorrendo a estratégias pedagógicas atrativas e cativantes, para que todos os Learners interessados possam usufruir das mesmas, da melhor maneira possível.

Por sermos frequentemente confrontados com a falta de Formação Pedagógica de alguns dos nossos docentes, na última edição do projeto, convidámos os alunos-Teachers a participar no Workshop de Iniciação Pedagógica para Monitores da AEFML, a fim de potenciar as suas capacidades enquanto jovens pedagogos.

Para avaliar o impacto do Solvin’ It na aprendizagem dos alunos-Learners, no final de cada semestre realizamos Inquéritos de Avaliação onde analisamos o benefício das sessões Solvin’ It, quando comparada com aulas teóricas. Percebemos que os alunos destacam o ambiente informal, a linguagem acessível e a maior compreensão de dúvidas por parte dos alunos-Teachers, como os principais pontos que favorecem as sessões de Peer-Teaching. Orgulhamo-nos de referir que o Solvin’ It representa, hoje, um projeto com três edições, algumas limitações por ultrapassar e, acima de tudo, com a crescente ambição de que o Peer-Teaching se continue a afirmar como metodologia de relevo na Educação Médica.

As coordenadoras gerais da Comissão Organizadora do Projeto Solvin’ It 2016,
Andreia Daniel e Beatriz Colmonero de Oliveira


Referências bibliográficas
[1] Ten Cate, Olle, and Steven Durning. “Peer Teaching In Medical Education: Twelve Reasons To Move From Theory To Practice”. Medical Teacher, vol 29, no. 6, 2007, pp. 591-599. Informa UK Limited

[2] Scicluna, Helen A. et al. “Peer Learning In The UNSW Medicine Program”. BMC Medical Education, vol 15, no. 1, 2015, Springer Nature