Untitled
esquerda


Leia a Última Edição!

II Série Volume 31 Número 11
Novembro 2018

E-ALERT:

menu esquerda
 
   
 
 
 
 


  1- Factores de recorrência das lesões intraepiteliais do colo do útero.

2- Duodenoscopia e colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (cpre) no diagnóstico da patologia biliar e pancreática. Experiência dos primeiros 150 exames.

3- Mefedrona, a Nova Droga de Abuso: Farmacocinética, Farmacodinâmica e Implicações Clínicas e Forenses

4- História natural da dilatação pielocalicial pré-natal.

5- Erisipela.

6- Drogas antidepressivas.

7- Abordagem terapêutica das úlceras de pressão--intervenções baseadas na evidência.

8- Traumatismo Crânio-Encefálico: Abordagem Integrada

9- Ulceras genitais causadas por infecções sexualmente transmissíveis: actualização do diagnóstico e terapêuticas, e a sua importância na pandemia do VIH.

10- Abordagem actual da gota.

11- Vasculite livedóide.

12- Cisto de Tarlov: definição, etiopatogenia, propedêutica e linhas de tratamento.

13- Tratamento antibiótico da cistite não complicada em mulheres não grávidas até à menopausa.

14- Inversão uterina.

15- Urolitíase e cólica renal. Perspectiva terapêutica em Urologia.

16- Princípios básicos em cirurgia: fios de sutura.

17- Rabdomiólise.

18- Glioblastoma multiforme ... com apresentação multifocal.

19- Abordagem diagnóstica das neuropatias periféricas.

20- Pancreatite aguda. Actualização e proposta de protocolo de abordagem.

 
   

Dermatoses em Africanos



Atualmente, devido aos circuitos migratórios cada vez mais frequentes na Europa e consequente aumento da população migrante em Portugal, principalmente na área metropolitana de Lisboa, é cada vez mais comum depararmo-nos com diversas patologias dermatológicas nos indivíduos africanos que recorrem ao sistema de saúde. Existem poucos estudos sobre dermatoses nesta população. É importante conhecer as diferenças biológicas e fisiológicas da pele negra, de modo a compreender a fisiopatologia e a manifestação das dermatoses. O diagnóstico de muitas delas constitui um desafio para qualquer clínico devido às características específicas da sua pele. É essencial conhecer os diferentes padrões e frequências das doenças cutâneas em africanos, de modo a otimizar os seus diagnóstico, abordagem e tratamento.

Palavras-chave: Doenças da Pele; Fenómenos Fisiológicos da Pele; Grupo com Ancestrais do Continente Africano

 
Leia o artigo completo  aqui: